sábado, 17 de novembro de 2012

Aprendendo a lidar com Lesões na Coluna



Você conhece a fundo suas lesões?

   
            
A coluna vertebral é o eixo ósseo do corpo situado no dorso, na linha mediana, capaz de sustentar, amortecer e transmitir o peso corporal, suprir a flexibilidade necessária à movimentação, proteger a medula espinhal e junto com as costelas e o esterno, formar o arcabouço torácico, que funciona como um fole para os movimentos respiratórios e proteção ás vísceras abdominais.

Ao longo da idade, por sobrecarga às estruturas articulares, más posturas, envelhecimento corporal, erros de formação e outras circunstâncias, a coluna pode desenvolver algumas patologias que potencializam o desarranjo angular de seu eixo e evidência os desequilíbrios ósteo musculares.
            
       De acordo com a Professora Milena Dutra, docente nos cursos de pós-graduação da Universidade Gama Filho aprender a lidar com as lesões é muito importante. E ela dá as dicas das alterações mais comuns do acometimento axial: estenose vertebral, hérnia de disco e espondilólise espondilolistese.

A estenose do canal vertebral é um estreitamento do diâmetro do canal medular que pode acometer qualquer segmento, cervical, torácico ou lombar, concomitante a um esmagamento de raiz nervosa com consequente dor radicular: parestesia, formigamento, irradiação e perda de força. Primária por afunilamento ósseo ou secundária a hérnia discal ou escorregamentos, a estenose é bem mais comum do que se imagina.

A hérnia de disco consiste de um deslocamento do conteúdo do disco invertebral denominado núcleo pulposo, através de sua membrana externa, o ângulo fibroso, geralmente em sua região posterolateral, que pode acontecer em qualquer nível invertebral por sobrecarga, desgaste, trauma e esforço repetitivos principalmente em flexão e rotação de tronco. A hérnia discal gera dor latente irradiada para membros inferiores quando alojada na região lombar e para membros superiores quando instalada na cervical.

Por fim, não menos importante, a espondilolistese é uma quebra em localizações do arco posterior da vértebra denominada pars articular. Com isso, a quebra óssea inicial gera um escorregamento vertebral adjacente, com maior prevalência na região lombar, muitas vezes associadas à excessiva angulação da lordose lombar e outras causas.

Agora que você conhece um pouco mais sobre essas lesões, já sabe como lidar com elas?


Milena Dutra, docente nos cursos de extensão e pós-graduação da Universidade Gama Filho é mestranda em Endocrinologia Clínica pela UNIFESP, tem Residência médica em Coluna e Traumatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, é especializada em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho, em Ortopedia e Traumatologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Graduada em Fisioterapia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário