sábado, 17 de novembro de 2012

As funções do profissional de Enfermagem




 
Você sabe a diferença entre todos os graus de habilitação em Enfermagem? Por que ocorrem tantos erros atualmente?
   
De acordo com o Jornal Estado de Minas, o caso do bebê que recebeu leite na veia expõe má conduta de enfermeiros, técnicos e auxiliares. Entre 2010 e 2011, denúncias contra esses profissionais cresceram 20% em minas. 

Este ano, média é de três queixas por semana. Em matéria publicada em 17 de abril, o Jornal fala dos problemas que vão desde a falta de ética de profissionais, passando pelo desrespeito aos pacientes e falta de atenção até a troca de medicamentos.


       No Sul do Brasil, em matéria da TV Globo, um projeto busca diminuir erros de enfermagem dentro de Hospital.  A atividade é desenvolvida no Hospital de Caridade de Ijuí e apresenta resultados positivos, mas ainda há muito a ser feito.



       Já em matéria do Portal R7, a falta de formação adequada e de consciência sobre a função exercida são as principais causas dos erros de enfermagem, segundo os especialistas consultados.

                
    Então, pensando no público em geral a Universidade Gama Filho preparou uma breve explicação sobre as principais divisões da profissão, para que os leigos no assunto possam conhecer sobre cada profissional e saber qual a responsabilidade que cada um carrega em sua função. 

       
     Confira:
               
       De acordo com a Lei nº. 7.498, de 1986, que rege a área de Enfermagem, as categorias: Enfermeiro, Técnico de Enfermagem e Auxiliar de Enfermagem se completam, mas apresentam funções distintas.

A enfermagem pode ser exercida particularmente pelo enfermeiro, técnico de enfermagem ou pelo auxiliar de enfermagem, todavia os graus de habilitação devem ser respeitados de acordo a legislação. 

Todos os profissionais citados estão sujeitos aos CORENs estaduais (Conselho Regional de Enfermagem), e ao  COFEN (Conselho Federal de Enfermagem).


TÉCNICO DE ENFERMAGEM

Deve possuir diploma de curso técnico (nível médio) e ser registrado. É apto a dar cuidados de nível médio, ou seja, em pacientes que possam apresentar um caso mais preocupante. Pode dar remédios de via oral ou não oral, realizar a passagem do cateterismo (nasal/gastresofágica), entretanto deve contar sempre com a supervisão do Enfermeiro.

AUXILIAR DE ENFERMAGEM

Deve possuir o certificado de auxiliar de enfermagem e ser registrado. Ter realizado ensino fundamental. Pode administrar remédios simples, dar injeções na veia e no músculo em pacientes que não apresentem casos mais severos. Realizam curativos simples e cuidados básicos de higiene e conforto ao paciente, sempre acompanhados de um enfermeiro.

ENFERMEIRO 

Para exercer a profissão é necessária a realização de uma graduação na área. Suas funções estão no poder de conduzir e liderar o órgão de enfermagem de uma instituição de saúde (público/privada). Tem por obrigações o planejamento, organização, coordenação, execução, avaliação dos serviços de enfermagem concedidos e supervisionar/acompanhar as atividades dos auxiliares e técnicos.

Os cuidados diretos da enfermagem a pacientes graves que apresentam risco de vida em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) são de responsabilidade desse profissional.

Atua na prevenção e no controle de infecções (hospitalares) e de doenças transmissíveis, e é apto para os cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica, que demandam conhecimentos científicos e decisões imediatas. 

A atuação do Enfermeiro é dividida nas áreas:

- Educativa;
- Assistencial;
- Pesquisa;
- Administrativa;

ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM

Pensando sempre e exatamente na responsabilidade e importância da profissão é que a Universidade Gama Filho nos últimos anos vem atualizando, criando cursos e recrutando os mais gabaritados profissionais do Brasil para oferecer cursos de pós-graduação e extensão que elevem trabalhadores aos melhores profissionais do mercado.

Alguns desses cursos são ministrados pelo M.e William Malagutti, professor e Coordenador de Pós-Graduação da Universidade Gama Filho, que completa: É fundamental que esse profissional busque sempre o aperfeiçoamento e qualificação na sua área, visto que a Enfermagem é a ciência do cuidar, que está em constante evolução.

Breve Currículo: M.e William Malagutti é professor da Universidade Gama Filho e Coordenador curso de SAÚDE PÚBLICA E PSF PARA ENFERMEIROS. Graduado e licenciado em enfermagem, mestre em administração e comunicação, especializado em administração hospitalar pelo Instituto de Pesquisas Hospitalares; em Educação em Enfermagem pela fiocruz/usp, e Pós-Graduado em gestão de pessoas pela unifai. É autor dos livros, ‘EDUCAÇÃO EM SAÚDE’  e ‘OS CAMINHOS DA ENFERMAGEM: De Florence à globalização’, ambos editados pela Phorte Editora.




Nenhum comentário:

Postar um comentário