quarta-feira, 20 de junho de 2012

Hipertensão arterial, controlar é preciso


Com diagnóstico simples e controle regular é possível reduzir os problemas causados pela pressão alta.

A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta é uma doença silenciosa, mas que pode causar sérios danos à saúde de seus portadores. 


Considerada o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, estima-se que 20% da população mundial seja hipertensa. No Brasil, levantamento feito pelo Ministério da Saúde aponta que em 2010, 23,3% da população adulta sofria de pressão alta.


Com o intuito de lembrar o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial (26/4), a Beneficência Portuguesa de São Paulo (www.bpsp.org.br) alerta sobre a importância do diagnóstico precoce e do controle periódico da pressão arterial. De acordo com Allyson Nakamoto, cardiologista da Instituição, apenas 40% da população hipertensa sabe que é portadora da doença. Segundo a Organização Mundial de Saúde, quem é hipertenso e não faz o controle adequado pode ter uma redução na expectativa de vida de até 16 anos.


“A hipertensão é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares como infarto, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral. No entanto, por ser assintomática é necessário que as pessoas adquiram o hábito de aferir a pressão regularmente”, afirma o cardiologista.


A prevalência de pressão alta entre os indivíduos com mais de 60 anos de idade é de 50%, o que, segundo Nakamoto, pode dificultar a adesão ao controle pressórico entre a população adulta mais jovem. No entanto, a Sociedade Brasileira de Hipertensão estima que 5% da população brasileira adulta jovem seja portadora da doença.


Quem não tem uma alimentação saudável, quem ingere muito sal, não pratica atividade física regular, consome álcool de forma exagerada e tem histórico de hipertensão na família tem maior risco de se tornar um hipertenso.


“A fase escolar deve exigir mais atenção dos pais. Isto contribuirá para o controle dos hábitos nutricionais, inclusive a ingestão exagerada de alimentos industrializados, geralmente com alto teor de sódio. O ideal seria optar por uma alimentação mais natural, rica no consumo de frutas, verduras e legumes”, afirma o especialista.

Diagnóstico precoce é fundamental:



O diagnóstico de hipertensão arterial é facilmente obtido através da aferição dos níveis pressóricos em pelo menos três ocasiões diferentes em condições adequadas do paciente. Deve ser realizado por profissional qualificado e com equipamento adequado. 


Além da aferição em consultório, a pressão alta pode ser diagnosticada e acompanhada através de monitorização residencial da pressão, com o uso de equipamentos domésticos de aferição de pressão, disponíveis no mercado.

“Em indivíduos jovens e saudáveis a pressão arterial deve ser de 12 por 8. É importante aferir a pressão regularmente para que a qualquer sinal de alteração a pessoa procure um médico e descubra o porquê da alteração da pressão arterial”, afirma Nakamoto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário